loading Aguarde...

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com o monitoramento descrito em nossa Política de Privacidade.

// blog
O mundo que vamos (co)construir

Você já imaginou como será sua vida daqui 10 anos?   18% da população brasileira não tem acesso à internet. É isso o que mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2019, ou seja, cerca de 37 milhões de brasileiros não tem acesso à internet. Este número é igual ou superior a população de países como Polônia, Canadá e Austrália. Não se trata apenas de um problema de exclusão tecnológica. Atualmente, essa é uma questão de exclusão social, ...

+ ver mais

A justa medida da cooperação

Cooperativas constroem um mundo melhor. Evidentemente, me coloco a refletir e atrevo-me a questionar tal lema. É mais do que sabido que negócios são pessoas. Cooperativas, como negócios que são, não fogem a esta regra. Pelo contrário, carregamos com ainda mais ênfase o aspecto humano – somos sociedades de pessoas que agregam capital, e não sociedades de capital que vinculam pessoas. Aí vem a reflexão. Será que são as cooperativas que realmente constroem um mundo melhor? Freire apregoa, com maestria: ...

+ ver mais

O poder do trabalho bem feito

Tenho a sensação de estarmos vivendo dias cada vez mais corridos, com o tempo passando depressa - no trabalho, em casa e em nossas relações. Será que, mesmo nesse mundo acelerado, é possível agirmos com excelência em nossas tarefas e funções? Eu acredito que sim! Dias atrás, vivi um episódio que demonstra essa prática, ao contratar os serviços de um especialista em vidraçaria e esquadrias - o Vagner (meu amigo, diga-se de passagem). Na hora marcada, ele chegou ao meu ...

+ ver mais

Líderes de líderes

O que é ser líder? Ser líder é ter poder sobre outras pessoas? Ser líder é tomar decisões, de maneira centralizada? Líder é aquele que carrega as “respostas certas”? Certamente, não! Mas será que esse pensamento tão antiquado ainda é presente na cultura de organizações contemporâneas? Sempre que nos deparamos com situações de “chefes”, aqueles que tem prazer em ter a razão ou expor as pessoas mais sensíveis por achar que são incapazes de retrucar, pensamos que isso é coisa ...

+ ver mais

É preciso cooperar pela competitividade (mesmo que pareça paradoxal!)

“Mundo véio está mudado”. Com essa menção a Tião Carreiro, nosso presidente Marcio Lopes de Freitas introduz as boas-vindas a nós congressistas, na “Semana da Competitividade”, promovida pela OCB.  Desconhecedora dessa tradição musical, fui conferir o contexto da canção. Que começa com desolação, dizendo que: “todo homem tem seu preço, todo santo tem seu dia, mundo velho está mudado de quando os avós vivia, quando a palavra de um homem mais que dinheiro valia”.   Certamente, a sabedoria da cultura popular ...

+ ver mais

Sobre cooperativismo, pinhões e simbolismos

Somos a Coletiva. Nascemos do desejo de realizar algo realmente contributivo ao mundo corporativo. Entendemos que a educação é o caminho para quaisquer transformações que pretendamos. Comungamos dos mesmos valores e congregamos pessoas de diferentes perfis, por acreditar que a diversidade é necessária à construção de soluções efetivas. Nas trajetórias individuais, atuamos com educação corporativa desde muito tempo. Somamos experiências e competências distintas e complementares. Nossos cooperados já atuaram no mercado financeiro, varejo, multinacionais, atendimento ao cliente, empresas de educação ...

+ ver mais

Cooperação: o exercício da coragem de não agradar

“Nunca confio em um homem que não tem inimigos.” Nassim Nicholas Taleb Ao ler o livro “A coragem de não agradar”, de Ichiro Kihimi e Fumitake Koga, logo lembrei dos aforismos do Taleb. Habituados a buscar ser aceitos, aprovados, apreciados e reconhecidos o tempo todo (ou, ao menos, a maior parte dele), talvez percamos a espontaneidade. E a essência. Conquistar liberdade, satisfação e confiança, parece demandar boa dose de coragem para que a vida seja pautada, não em verdades convenientes, ...

+ ver mais

Paternidade e seus aprendizados

Esse mês a Cooperativa Coletiva completa 3 anos de sua constituição e no mês de agosto é celebrado o dia dos pais. Por isso, refleti bastante sobre todos os aprendizados que a paternidade me proporcionou através da minha filha, e da nossa cooperativa (que levou 9 meses para sair do papel!). A "gestação" das duas aconteceu simultaneamente em 2019. E quem já acompanhou uma gestação de perto, deve ter vivido vários sentimentos que vem junto: felicidade, encantamento, ansiedade, insegurança, receio ...

+ ver mais

A justa medida da cooperação

Cooperativas constroem um mundo melhor – eis o nobre slogan deste que é o 100° Dia Internacional das Cooperativas ou, simplesmente, #coopsday. Evidentemente, me coloco a refletir e atrevo-me a questionar tal lema. É mais do que sabido que negócios são pessoas. Cooperativas, como negócios que são, não fogem a esta regra. Pelo contrário, carregamos com ainda mais ênfase o aspecto humano – somos sociedades de pessoas que agregam capital, e não sociedades de capital que vinculam pessoas.   Aí vem ...

+ ver mais

O canto da sereia – será que podemos ser encantados?

Um dia desses assisti ao filme - O Amor é Contagioso (Patch Adams, 1998), que conta a história de Hunter Doherty Adams ou mais conhecido Patch Adams.   Após passar por episódios traumáticos e tentar tirar sua própria vida, ele resolve se internar em uma clínica, e em sua estadia nessa clínica, ele percebeu que quase nada era feito para recuperar os pacientes internados, que são tratados de qualquer forma, a atitude dos colaboradores da clínica o deixa intrigado.   Um dia, ...

+ ver mais

Liderança cooperativa – os desafios de liderar, como partícipe do movimento

Liderar, por si só, é trabalho desafiante, cheio de subjetividades e nuances. Cada organização cria sua própria cultura, da qual o líder é guardião, embaixador e inspiração. Nós, cooperativistas, para além das especificidades desse contexto, carregamos uma responsabilidade adicional – honrar o histórico de nosso movimento, mundialmente regrado por princípios nobres e fundamentais. Em qualquer organização a boa liderança tem o papel de encorajar e orientar. Encorajar significa ampliar as perspectivas, mobilizar em prol de um propósito, inspirar a efetivação ...

+ ver mais

Cooperar é démodé?

Com essa palavra “démodé” no título, o que vem à lembrança é minha mãe dizendo: Ah, no meu tempo era assim ou assado… Leve um casaco! Observe as amizades… diga com quem tu andas e eu te direi quem és! Além de outras muitas frases que os mais experientes normalmente utilizavam para passar algum ensinamento.   Depois da melancolia deste passado – nem tão distante – quero aproveitar o ensejo da palavra démodé. Você sabe seu significado? É uma palavra de ...

+ ver mais

Como escapar da dureza do mercado?

A lógica simplória de ter apenas duas alternativas a escolher – ser explorador ou explorado – nunca me fez bem. Mesmo em organizações ditas vanguardistas, no fim das contas, em geral, há quem lucre pela lógica mais evidente do capitalismo: a exploração mera e simples da mão de obra servil. Quando me vi em condições de não mais ter um chefe, parecia um caminho óbvio tornar-me a chefe. E isso me corroía por dentro. Ao observar o mundo, a feliz ...

+ ver mais

Por quanto tempo você viveria com tudo que tem guardado ou investido?

Ontem, conversando com um amigo sobre o momento de vida e de carreira dele, me assustei com sua história e imaginei esse mesmo enredo na vida de milhares de pessoas, pois ele trabalhou durante 10 anos na empresa Avianca, que simplesmente encerrou suas operações no Brasil, e todos os funcionários e suas famílias foram prejudicadas por falta de recursos ou outras oportunidades (quem deles será que tinha parcela de carro, da casa, escola dos filhos ou necessidade de colocar o ...

+ ver mais

Essa tal juventude...

Quem diria que esse dia chegaria tão depressa. No alto dos meus 39 anos, me enquadro na zona de indefinição. Alguns me categorizariam como geração X, outros me considerariam millenial, ou geração Y. Amigos afirmam que sou “velha de alma”, portanto fico confortável de olhar para essa nova geração sem me incluir com tanta convicção. O que talvez me ajude numa espécie de distanciamento antropológico.   Os millenials são uma realidade irreversível, e já representam 50% da força de trabalho, segundo ...

+ ver mais

O que o “cara” é capaz de construir?

Empreender um negócio é um processo árduo e solitário. Da maneira que as nossas empresas tradicionais foram pensadas, há um grande líder, investidor – de tempo, dinheiro, ideias e/ou trabalho, que, heroicamente, faz acontecer. Neste momento de crise, cabe à liderança tomar as decisões – reposicionamentos, cortes, ajustes. Claro que, à medida que as empresas se desenvolvem, mais gente acaba sendo envolvida para pensar alternativas e possibilidades – mas costuma haver “o cara”, para bater o martelo (diga-se de passagem, ...

+ ver mais

Vendas consultivas são mais do que entregar o que se pede

Após 2 anos de trabalho em formato digital devido a pandemia, os encontros presenciais voltaram com tudo.   Tive a grata oportunidade de conduzir 9 grupos de gestores comerciais de cooperativas de crédito, refletindo, provocando, aprendendo e ensinando sobre temas de vital importância - negócios conscientes, efetividade comercial, conexão do propósito aos negócios, centralidade do associado, entender para atender, CRM a favor dos atendimentos entre outros.   Para completar, muitas trocas de ideias, experiências e vivências reais. E, falando de vivência real, ...

+ ver mais

Rabo de tubarão ou cabeça de sardinha. Quem você quer ser?

Algumas escolhas parecem necessárias para o nosso desenvolvimento, em momentos específicos da vida. Ao ouvir essa analogia, em forma de pergunta, nada parece muito positivo: o que você prefere ser – rabo de tubarão ou cabeça de sardinha? Nosso mal amor de nós mesmos, talvez gere essa sensação de impotência e conformismo. Nos tempos de faculdade – uma graduação em administração de empresas, em faculdade renomada – as recomendações eram sempre para o caminho da grandeza. Mesmo que para isso, ...

+ ver mais

O líder que deseduca

Sabe quando você passa por uma experiência que sente vontade de dividir com outras pessoas, para saber o que elas pensam ou se já passaram por isto? Foi o que me ocorreu um dia desses.   Estava prestando consultoria temporariamente em uma grande instituição, com mais de 100 mil colaboradores e que valoriza a evolução de seus profissionais. Eu participava de todos os processos e atividades com os demais colegas desta empresa. Recebemos dias anteriores um convite de reunião com nosso ...

+ ver mais

Seu emprego já era! Se seu emprego acabar o que você fará?

  Talvez o que tenha chamado sua atenção foi o título determinista dizendo que seu emprego ou função já era ou em outras palavras que vai acabar.   Será que isso é possível, que tantos empregos que hoje em dia estão disponíveis, daqui há alguns anos deixarão de existir e nem lembraremos como éramos dependentes deles? Você já parou para pensar se seu emprego acabar o que você fará?   Analisando tantas funções ou empregos que já existiram a história nos apresenta essa ...

+ ver mais

Aprendizados coletivos. Vamos fazer juntos?

A Coletiva é uma cooperativa de educação corporativa. Acreditamos que é necessário atrelar os princípios do movimento cooperativista à maneira de oportunizar o aprendizado. Afinal, educação, para nós, não é uma opção, é um princípio: educação, formação e informação. Mas, reflitamos: de que forma temos educado as nossas pessoas – cooperados, colaboradores, gestores, treinadores?   É sabido que, muito mais do que as palavras, o que mobiliza as pessoas a evoluírem são os exemplos. Portanto, o modo como lidamos com a ...

+ ver mais

Pioneirismo nos tempos atuais

E se os probos Pioneiros constituíssem uma cooperativa hoje? Quais seriam as dificuldades, provações, incentivos e oportunidades? Em tempos de individualismo, aglutinar pessoas dispostas a primeiro dar, e só depois receber, seria um obstáculo inicial. Embora saibamos o quão desafiador é empreender sozinho nesse mundo de hoje, ainda assim a disposição verdadeira em se solidarizar mutuamente, seria uma bela barreira a ser superada. Em sendo uma cooperativa de trabalho, pelo menos sete cidadãos dispostos a jogar juntos, buscando o bem ...

+ ver mais

Educação corporativa em organizações cooperativas

"Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas.” Com esse trechinho de Rubem Alves, gostaria de iniciar a minha reflexão. Quando falamos em educação no contexto cooperativista, temos a grande alegria (e responsabilidade) de encarar esse desafio não como uma opção, como uma alternativa. Ao fazer parte de nossos princípios doutrinários, a observância da realização, da efetivação da educação, é uma característica atribuída a nossas cooperativas. Não há cooperativa que não eduque – ao menos não deveria ...

+ ver mais

O líder que deseduca

Sabe quando você passa por uma experiência que sente vontade de dividir com outras pessoas, para saber o que elas pensam ou se já passaram por isto? Foi o que me ocorreu um dia desses. Estava prestando consultoria temporariamente em uma grande instituição, com mais de 100 mil colaboradores e que valoriza a evolução de seus profissionais. Eu participava de todos os processos e atividades com os demais colegas desta empresa. Recebemos dias anteriores um invite de reunião com nosso ...

+ ver mais

O que “o cara” é capaz de construir?

Empreender um negócio é um processo árduo e solitário. Da maneira que as nossas empresas tradicionais foram pensadas, há um grande líder, investidor – de tempo, dinheiro, ideias e/ou trabalho, que, heroicamente, faz acontecer. Neste momento de crise, cabe à liderança tomar as decisões – reposicionamentos, cortes, ajustes. Claro que, à medida que as empresas se desenvolvem, mais gente acaba sendo envolvida para pensar alternativas e possibilidades – mas costuma haver “o cara”, para bater o martelo (diga-se de passagem, ...

+ ver mais

Aprendizados com um Zé-Ninguém (ou, como suprir as expectativas dos jovens no mercado de trabalho)

Tenho a lembrança de um livro que parece ter estado sempre presente em minha vida. Lá na nossa casa, na estante do meu pai, economista por formação e curioso por vocação, eram vários os títulos instigantes. Mas esse (vai ver por ser mais fininho!), me chamou a atenção desde muito nova. Autor polêmico, só vim a saber disso muito depois, mas que me provocou por conta do título de sua obra: “Escute, Zé-Ninguém”, de Wilhelm Reich. O livro é uma ...

+ ver mais

Por quanto tempo você viveria com tudo que tem guardado ou investido?

Ontem, conversado com um amigo sobre o momento de vida e de carreira dele, me assustei com sua história e imaginei esse mesmo enredo na vida de milhares de pessoas, pois ele trabalhou durante 10 anos na empresa Avianca, que simplesmente encerrou suas operações no Brasil, e todos os funcionários e suas famílias foram prejudicadas por falta de recursos ou outras oportunidades (quem deles será que tinha parcela de carro, da casa, escola dos filhos ou necessidade de colocar o ...

+ ver mais

E agora! João, Maria ou bancário?

Nossa! Quantas metas, pressões, estresse. Loucura!!! Você já passou por isto? Saiba que você não está sozinho. Quantos milhões de pessoas exercem diversas funções nas instituições financeiras ou outras áreas e segmentos pelo país a fora com desafios diários entre metas, campanhas, chefes… e eu, já fui um destes. Iniciando a carreira próximo aos 20 anos, cheio de sonhos, desejos e desafios, imaginando como seria o futuro na diretoria ou em alguma regional, em outros casos na própria agência ou ...

+ ver mais

Essa tal juventude… (e o desafio da inserção dos millenials no mercado de trabalho)

Quem diria que esse dia chegaria tão depressa. No alto dos meus 39 anos, me enquadro na zona de indefinição. Alguns me categorizariam como geração X, outros me considerariam millenial, ou geração Y. Amigos afirmam que sou “velha de alma”, portanto fico confortável de olhar para essa nova geração sem me incluir com tanta convicção. O que talvez me ajude numa espécie de distanciamento antropológico. Os millenials são uma realidade irreversível, e já representam 50% da força de trabalho, segundo ...

+ ver mais

Representatividade e o poder dos detalhes

Nesse nosso mundo bombardeado de informações, sinto que a superficialidade, por vezes, nos assola. A gente acaba “dando uma olhadinha” nas notícias, se informa por meio de manchetes, alguns veículos, inclusive, já estruturam as suas matérias com a resenha, logo de cara, pra quem não quer (ou, não pode – fica mais pomposo pensar desse jeito!) “perder tempo”. Toda a desatenção supramencionada, obviamente, confesso, também é isca que mordo de quando em vez. Passar os olhos para ter ao menos ...

+ ver mais

Pra que serve o Canvas?

As perguntas que eu mais ouvi durante anos em sala de aula e no mundo dos negócios foram: Tenho uma ideia, e agora? Por onde devo começar? Quero montar um negócio, o que devo fazer? Há alguns anos conheci uma ferramenta bem interessante e, desde então, tenho respondido as questões acima com a seguinte resposta: Você conhece o Canvas? Eu gosto de dizer que o Canvas é uma maneira mais “fácil” – se é que isso existe, de planejar negócios. ...

+ ver mais

Autonomia e motivação

Em tempos modernos esse é um tema que de certa forma caiu no senso comum. Está na moda falar de autonomia e motivação em todos os níveis hierárquicos, dentro e fora dos ambientes profissionais. Ouvimos o quanto é importante estar motivado e ter autonomia para se desenvolver em todos os âmbitos da vida. Mas perguntas importantes não podem ser ignoradas, tais como: O que é autonomia e motivação? Onde encontro? Como faço uso? É possível alcançar resultados com excelência sem ...

+ ver mais

Cooperar é démodé?

Com essa palavra “démodé” no título, o que vem à lembrança é minha mãe dizendo: Ah, no meu tempo era assim ou assado… Leve um casaco! Observe as amizades… diga com quem tu andas e eu te direi quem és! além de outras muitas frases que os mais experientes normalmente utilizavam para passar algum ensinamento. Depois da melancolia deste passado – nem tão distante – quero aproveitar o ensejo da palavra démodé. Você sabe seu significado? É uma palavra de ...

+ ver mais

Rabo de tubarão ou Cabeça de sardinha?

Algumas escolhas parecem necessárias para o nosso desenvolvimento, em momentos específicos da vida. Ao ouvir essa analogia, em forma de pergunta, nada parece muito positivo: o que você prefere ser – rabo de tubarão ou cabeça de sardinha? Nosso mal amor de nós mesmos, talvez gere essa sensação de impotência e conformismo. Nos tempos de faculdade – uma graduação em administração de empresas, em faculdade renomada – as recomendações eram sempre para o caminho da grandeza. Mesmo que para isso, ...

+ ver mais

A Quarta Revolução Industrial (A indústria 4.0)

Quem nunca assistiu um filme de ficção ou futurismo e duvidou das cenas ou da criatividade dos autores em imaginar tantas mudanças? O mais engraçado é que, hoje, vendo alguns desses filmes, percebemos que a imaginação daquela época foi engolida por toda essa transformação digital que vivemos, ou pela chamada Quarta Revolução Industrial.     Se pensarmos apenas no contexto de uma revolução industrial, notamos que ela é caracterizada por mudanças radicais, motivadas pela incorporação de novas tecnologias, causando impactos sociais, econômicos ...

+ ver mais