loading Aguarde...

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com o monitoramento descrito em nossa Política de Privacidade.

Líderes de líderes

Publicado em 06/09/2022

O que é ser líder? Ser líder é ter poder sobre outras pessoas? Ser líder é tomar decisões, de maneira centralizada? Líder é aquele que carrega as “respostas certas”? Certamente, não! Mas será que esse pensamento tão antiquado ainda é presente na cultura de organizações contemporâneas?

Sempre que nos deparamos com situações de “chefes”, aqueles que tem prazer em ter a razão ou expor as pessoas mais sensíveis por achar que são incapazes de retrucar, pensamos que isso é coisa do passado, porque se não é, deveria ser!

Porém, esse perfil ainda faz parte do dia a dia de muitas organizações. Bem sabemos que tal modelo já teve seu momento no passado. Pesquisa feita por Berson by Deloitte com empresas de 130 países mostra que 89% delas consideram importante ou muito importante o desenvolvimento de líderes - mas insuficientes 13% se declaram excelentes na geração de lideranças. Esse é um trabalho de formiguinha, que precisamos levar adiante.

Entender que cada indivíduo tem suas características, talentos e preferências, contribui para uma liderança mais agregadora e inclusiva. A construção de vínculos verdadeiros contribui no sentimento de pertença e na aceleração de resultados.

Participei de uma certificação em 2021 voltada à jovens lideranças no cooperativismo brasileiro, chamada “Somos Líderes”. Durante o processo a temática da humanização foi muito abordada. Compreendemos que, conhecendo as competências individuais, é possível “dar a Cezar o que é de Cezar”. Assim, fica mais simples conectar as pessoas ao propósito da organização.

Precisamos estar preparados para aquilo que o futuro nos reserva (falei disso no artigo “O mundo que vamos (co)construir” - link abaixo). A geração que já chegou ao mercado de trabalho busca desenvolvimento emocional e espiritual (QE e QS), diferente de gerações anteriores que olhavam muito mais para títulos e status.

Que possamos também buscar a nossa evolução. A cooperação só tem força quando composta por indivíduos fortalecidos. Que a nossa liderança seja impulso para despertar a liderança daqueles que estão conosco. Que vivamos a cooperação em todos os níveis, influenciando positivamente quem estiver ao nosso redor.

 

Por Jean Michel, educador da Cooperativa Coletiva